Procura interna com maior influência que as exportações no crescimento do PIB

A procura interna em 2018 teve maior influência no crescimento do PIB nacional do que as exportações, cuja influência no crescimento foi a mais baixa dos últimos nove anos.

Madrid - 31-jul-2019

 

 

A procura interna em 2018 passou a ter uma maior influência no crescimento do PIB nacional do que as exportações. O aumento das exportações contribuiu para um crescimento de 0,8% do PIB, num total de 2,1%, a influência mais baixa dos últimos nove anos. A procura interna teve um contributo superior a 1,3%, com o consumo privado a ser determinante (1%). 

 

 

Segundo o estudo A Economia Portuguesa 2018, hoje divulgado pela Iberinform, esta procura interna, assente num conteúdo importado muito elevado, “não é sustentável e só o será com uma substituição competitiva das importações, inclusive das originadas pelas exportações.


São os veículos automóveis e componentes que continuam a estar por trás do aumento das importações para satisfação da procura externa (exportações) e da procura interna em 2018 (10,7%). As importações de equipamentos mecânicos aumentaram 17% e as importações de equipamentos elétricos e eletrónicos cresceram 12% para satisfazer a procura interna (investimento). O ferro e o aço também tiveram um forte aumento de 14,4%. No campo alimentar, o estudo destaca os aumentos das importações de carnes (10,8%), cereais (11,9%) e fruta (9,6%).


A atual política económica em Portugal tem tido como objetivo aumentar o PIB por via do estimulo da procura interna, tanto ao nível do consumo como do investimento, seja através de políticas de estimulo ao emprego e aumento de rendimentos (remunerações e pensões), como através da política orçamental, com aumento da despesa pública e diminuição dos impostos sobre os rendimentos das famílias. Contudo, como salienta o estudo hoje divulgado, “sem aumento da competitividade das exportações e substituição competitiva das importações, o estimulo à procura interna tem induzido sempre a um crescimento insustentável, sendo o sobre endividamento público e privado uma das suas manifestações.” No entanto, é reconhecido o reforço da prioridade à internacionalização.


Em 2018, as exportações de bens, excluindo os combustíveis, desaceleraram em quase todos os produtos da indústria, com destaque para os bens alimentares (3,4%), incluindo agricultura e pescas, têxteis (2,8%), plásticos (2,7%), metálicos (6,7%), moldes para plásticos (0,95) e outros equipamentos mecânicos (2,9%). Os equipamentos elétricos e eletrónicos tiveram mesmo uma variação negativa (-4,3%), tal como o calçado (-2,3%).  As exportações de serviços conseguiram determinar um saldo positivo da balança comercial de serviços em 2018 que compensou o défice da balança comercial de bens por via fundamentalmente das Viagens e Turismo. No entanto, esse excedente poderá estar em causa em 2019 que no seu primeiro trimestre teve um défice comercial de -734 M€, a demonstrar os limites do crescimento baseado numa procura interna e externa dependente de importações.


Contudo, em 2018, as exportações nacionais aumentaram novamente as suas quotas nas importações mundiais, 1,2% nos produtos e 3,4% nos serviços, o que evidencia ganhos de competitividade. De salientar o desempenho das Viagens e Turismo, com um aumento de 6,8%, atingindo 1,4% de quota mundial, e a afirmação da cortiça portuguesa que aumentou 3,3% para conquistar a primeira posição mundial com uma quota de 61%. Os moldes de plástico passaram da 8.ª para a 7.ª posição mundial com uma quota de 5,4% no total das exportações mundiais. O papel elevou a sua quota para 1,3% com um aumento de 3,6% e os veículos automóveis tiveram um forte aumento de 28,2% para alcançarem uma quota mundial de 0,60%.


Em 2018, foi reforçada a concentração das exportações nacionais nos principais mercados da União Europeia de maior proximidade geográfica, com os aumentos mais significativos a registarem-se em Espanha (6,2%), que aumentou o seu peso para 25,3%; França (7,1%) que aumentou o peso para 12,7%; Alemanha (7,1%) aumentou o seu peso para 11,5%, e Itália (27,4%) com um peso de 4,3%. De destacar ainda os aumentos registados na Áustria (48,3%), Polónia (20,9%) e Suécia (16,7%). Com variações negativas mais significativas destacam-se Angola (-15%), China (-21,6%) e Brasil (-13,9%).


A economia portuguesa está condicionada por um contexto internacional onde as ameaças superam as oportunidades. A vulnerabilidade da integração europeia, o Brexit, as fragilidades do protecionismo, os riscos das economias emergentes, a variação negativa da procura mundial ou o aumentar dos riscos geopolíticos na América, com especial destaque para a Venezuela, com uma ampla comunidade lusa, são algumas dessas ameaças. Em contra tendência, o recente acordo da União Europeia com o Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), complementar aos acordos com os países andinos da Colômbia, Peru e, potencialmente, Equador, abre quase toda a América do sul ao comércio livre com a EU, com destaque para as cadeias de valor automóvel e alimentar, que serão favoráveis a Portugal. 


No plano do mercado interno, a economia portuguesa continua condicionada pelo excessivo endividamento do Estado, não profundamente modernizado, pelas fragilidades das instituições financeiras com as suas imparidades e contingências, grande parte delas estatizadas e nacionalizadas, e pelas famílias com níveis de endividamento e de tributação melhorados, mas ainda muito elevados. 


No primeiro trimestre de 2019, o contributo das exportações para a variação do PIB nacional foi negativo (estimado em -0,4%), tendo a procura interna sido determinante para o crescimento de 1,8% do PIB, com um contributo de 2,2%. As previsões apontam para que as exportações mantenham um menor contributo para um menor crescimento do PIB, de 0,4% em 2019 e 0,5% em 2020 e 2021. O cenário de crescimento do PIB antevê um crescimento de 1,7% em 2019 e de 1,6% em 2020 e 2021.


Sobre a Iberinform


A Iberinform é a filial da Crédito y Caución que oferece soluções de gestão de clientes para as áreas financeiras, de marketing e internacional. Fornece bases de dados para a identificação de novos clientes e ferramentas que facilitam a gestão de riscos, a análise e acompanhamento de clientes ou setores. O seu serviço de informação empresarial possibilita a obtenção de relatórios de empresas em mais de 200 países ou territórios e aceder às maiores bases de dados de incumprimento bancário em Espanha, como o RAI e ASNEF Empresas.


Sobre a Crédito y Caución


Crédito y Caución é uma das marcas líderes em seguro de crédito interno e de exportação em Portugal, com uma quota de mercado de 26%. A Crédito y Caución contribui para o crescimento das empresas, protegendo-as dos riscos de incumprimento associados a vendas a crédito de bens e serviços. A marca Crédito y Caución também está presente em Espanha e no Brasil. No resto do mundo opera como Atradius. Somos um operador global de seguro de crédito presente em mais de 50 países.  A nossa actividade consolida-se no Grupo Catalana Occidente.
 

'; } $(document).ready(function() { if((cookie.indexOf('marketing')) != -1){ addTwitter(); }else{ var twitter = document.getElementById("twiter"); if (twitter != null) { twitter.parentNode.removeChild(twitter); } } });

Mantenha-se informado. Receba a nossa Newsletter

Esta pagina web utiliza cookies

Utilizamos cookies de terceiros para fins analíticos (produzindo estatísticas baseadas nos seus hábitos de navegação), personalização (para lembrar o idioma ou as configurações preferidas da web) e publicidade comportamental (para desenvolver perfis e oferecer publicidade adaptada às suas preferências de navegação). Poderá configurar o uso desta tecnologia. Poderá também modificar ou retirar o seu consentimento a qualquer momento, clicando em "Declaração de Cookies".

 

Os cookies necessários ajudam a tornar um site utilizável, ativando funções básicas como a navegação no site e o acesso a áreas seguras do mesmo. O website não pode funcionar correctamente sem estes cookies.

Nome Fornecedor Finalidade Expiração Tipo Informação adicional
NID google.com Necessário para o funcionamento do reCaptcha. Grava um código para evitar a usurpação de identidade do utilizador. 2 anos HTTP
TS# creditoycaucion.es Este cookie é necessário para o serviço de balanceador de carga. sessão HTTP
a_sescyc creditoycaucion.es Este cookie é necessário para o serviço de balanceador de carga 1 dia HTTP
JSESSIONID creditoycaucion.es Cookie de servidor Web para manter o estado da sessão do visitante entre pedidos de páginas. sessão HTTP

Os cookies de preferência permitem que o website se lembre de informações que alteram a forma como o website se comporta ou a sua aparência, como o seu idioma preferencial ou a região em que se encontra.

Nome Fornecedor Finalidade Expiração Tipo Informação adicional

Os cookies estatísticos ajudam os proprietários de sites a entender como os visitantes interagem com os sites, recolhendo e fornecendo informações anonimamente.

Nome Fornecedor Finalidade Expiração Tipo Informação adicional
_ga googletagmanager.com Regista um ID único que se usa para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 2 anos HTTP
_gat Script inline Usado pelo Google Analytics para reduzir a taxa de pedidos. 1 dia HTTP
_gat_UA-# Script inline Usado pelo Google Analytics para reduzir a taxa de pedidos. 1 dia HTTP
_gid googletagmanager.com Regista um ID único que se usa para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 1 dia HTTP
_gcl_au googletagmanager.com Usado pelo Google AdSense para experimentar a eficácia da publicidade em sites que utilizam os seus serviços. 3 meses HTTP

Os cookies de marketing são usados para monitorizar os visitantes nas páginas web. A intenção é exibir anúncios que sejam relevantes e atraentes para o utilizador individual e, portanto, mais valiosos para editores e anunciantes.

Nome Fornecedor Finalidade Expiração Tipo Informação adicional
PREF youtube.com Regista um ID único que se usa para gerar dados estatísticos sobre como o visitante utiliza os videos do You Tube nos diferentes websites. 8 meses HTTP
1P_JAR youtube.com Este cookie fornece informações sobre a utilização do website pelo utilizador final e sobre a publicidade que o utilizador final viu antes de visitar o website. 2 anos HTTP
IDE youtube.com Utilizado pelo Google DoubleClick para registar e comunicar a acção do utilizador do Website após visualizar ou clicar num dos anúncios do anunciante, com o objectivo de medir a eficácia de um anúncio e apresentar anúncios direccionados ao utilizador. 1 ano HTTP
GPS youtube.com Regista um ID único em dispositivos móveis para permitir o rastreamento com base na localização geográfica do GPS. 1 dia HTTP
VISITOR_INFO1_LIVE youtube.com Procura estimar a largura de banda dos utilizadores em páginas com vídeos do YouTube integrados. 179 dias HTTP
YSC youtube.com Regista uma identificação única para obter informações estatísticas sobre os vídeos do YouTube que o utilizador visualizou. sessão HTTP

Os cookies são pequenos arquivos de texto que as páginas web podem usar para tornar a experiência do usuário mais eficiente. A lei estabelece que podemos armazenar cookies no seu dispositivo se forem estritamente necessários para o funcionamento desta página. Para todos os outros tipos de cookies precisamos da sua permissão. Esta página utiliza diferentes tipos de cookies. Alguns cookies são colocados por serviços de terceiros que aparecem nas nossas páginas. A qualquer momento pode alterar ou retirar seu consentimento na "Declaração de Cookies" no nosso website. Saiba mais sobre quem somos, como pode entrar em contato connosco e como processamos os dados pessoais na nossa "Política de Privacidade".

 

O seu consentimento aplica-se aos seguintes domínios: www.creditoycaucion.es