Os quatro desafios da indústria química

Gerir o abrandamento da China, o preço das matérias-primas, a taxa de câmbio do dólar, investimentos e aquisições no sector, são elementos chave para manter a solidez da indústria química.
Madrid - 01-set-2016

 

A indústria química global mantém, neste momento, uma posição financeira sólida com baixos níveis de incumprimento. No entanto, este setor é um negócio cíclico e dependente das alterações na economia global, da evolução de setores como a construção, automóvel e eletrónica e das variações no custo das matérias-primas, especialmente do petróleo e gás.

Segundo o mais recente Market Monitor divulgado pela Crédito y Caución, a evolução do abrandamento da economia chinesa e a redução na procura noutros mercados emergentes, que já está afetar negativamente os exportadores químicos, é um dos quatro grandes desafios que assombram o setor.

Outro fator determinante é a adequada gestão do preço do petróleo, sobre o qual não é expectável um aumento significativo a curto prazo. O impacto na indústria química tem sido positivo em alguns dos segmentos produtivos mas é, ao mesmo tempo, profundamente negativo em outros.

A força do dólar é o terceiro fator significativo no desenvolvimento futuro da indústria química. As atuais taxas de câmbio estão a beneficiar o setor na Europa, reduzindo a competitividade internacional nos Estados Unidos.

Não obstante, muitas empresas do setor químico estão a reavaliar agressivamente as suas carteiras e a liquidação de ativos não estratégicos, o que está a provocar um aumento generalizado nas aquisições do setor a nível global.

França

Na França o setor, que concentra alguns operadores globais, é responsável por uma quota significativa das exportações mundiais, favorecidas pelos baixos custos da energia, abaixo da média europeia. As debilidades neste sector concentram-se, no entanto, nos elevados custos de mão-de-obra e no complexo quadro legislativo. Dada a estrutura produtiva do setor em França, a insolvência de um grande operador teria um grave impacto na cadeia de valor dos fornecedores. 

Alemanha

A Alemanha, a maior produtora química europeia pelo seu tamanho e motor de inovação, está a fazer progressos no processo de restauração e concentração setorial. Com um elevado número de empresas altamente especializadas na sua atividade de nicho, tem uma forte posição no mercado, ainda que ameaçada pela competência da China e dos Estados Unidos. As debilidades neste sector centram-se na alta dependência da evolução futura dos preços do petróleo e na procura da economia global.

Itália

A Itália é outro dos mercados europeus com um elevado grau de internacionalização e níveis de solvência e margens comerciais acima da média nacional. No entanto, enfrenta uma concorrência crescente, especialmente vinda da Ásia, com margens muito sensíveis nos custos da mão-de-obra e energéticos. A evolução de alguns setores domésticos, como a construção, têxtil e couros e curtidos está a afetar negativamente o setor em Itália.

O Market Monitor divulgado pela Crédito y Caución analisa também em detalhe a evolução do setor nos Países Baixos, Bélgica, Suécia, Índia, México, Arábia Saudita, Turquia e Estados Unidos.

 

Sobre a Crédito y Caución

A Crédito y Caución  é um dos operadores líderes em seguro de crédito interno e de exportação. A Crédito y Caución contribui para o crescimento das empresas, há mais de 85 anos, protegendo-as dos riscos associados às vendas a crédito de bens e serviços. Desde 2008 é o operador do Atradius em Brasil, Espahna e Portugal.

Com uma quota do mercado de 23%, Atradius é o operador global de seguros de crédito, presente em 50 países, que proporciona a cobertura em 240 mercados e tem acesso a informação de crédito em mais de 200 milhões de empresas em todo o mundo. O operador global consolida a sua actividade no âmbito do Grupo Catalana Occidente.

Mantenha-se informado. Receba a nossa Newsletter