Recuperação instável da Países Baixos

A economia holandesa dá sinais de recuperação graças às exportações. Contudo, as previsões continuam incertas.

Madrid - 15-dez-2014

Após anos de recessão, a economia holandesa começou a dar sinais de recuperação, principalmente graças ao comércio externo. Prevê-se uma melhoria mais sólida em 2015, com o crescimento das exportações, para além da reativação do consumo privado, da produção industrial e do investimento. No entanto, dado que o crescimento económico depende ainda demasiado das exportações, tensões geopolíticas como a crise na Ucrânia e ainda a recuperação instável da zona euro, indicam que a previsão para a Países Baixos continua incerta.

A redução dos gastos no consumo foi um dos principais motivos do baixo rendimento económico de 2012 e 2013. O consumo privado caiu 1,5% em 2012 e 1,6% em 2013, e espera-se que este padrão se mantenha em 2014, ainda que com menos severidade: nos 0,2%. As medidas para reduzir o défice orçamental, a queda constante do mercado imobiliário, que deixou muitos proprietários `no vermelho´, e o aumento do desemprego, têm influenciado a confiança dos consumidores, que tem melhorado desde finais de 21013, ainda que continue num nível muito baixo.

O preço da habitação começou a estabilizar e o desemprego tem vindo a diminuir desde meados de 2014. Porém, prevê-se que permaneça nos 8,2%, um nível alto para os padrões holandeses. O rácio da dívida dos agregados holandeses representa atualmente cerca de 130% do PIB, maior que o dos seus vizinhos da União Europeia, e os salários reais sofreram uma queda nos últimos anos. Como resultado, a melhoria do consumo privado em 2015 será discreta: um aumento de 0,4%.

A confiança empresarial está a melhorar lentamente e é esperado que a produção industrial aumente 1,5% em 2015, após uma contração de 1,3% em 2014. O investimento empresarial aumentará antecipando uma melhoria não só da economia nacional, como da internacional. Espera-se uma aceleração do aumento das exportações até 5% em 2015, após um crescimento de 4% em 2014, que irão continuar a ser o principal impulsionador da recuperação económica.

O governo holandês aprovou uma série de medidas de austeridade para reduzir o défice orçamental. Estas pretendem aumentar as receitas e diminuir os gastos. Esta ação dirige-se principalmente à redução dos gastos em prestações de saúde e sociais. Espera-se que a dívida pública reduza aproximadamente para 71% do PIB.

 

Melhorias Sectoriais

A Crédito y Caución melhorou recentemente a previsão do desempenho de vários setores na Países Baixos. Apesar das expectativas mais positivas, no caso de alguns setores principais a melhoria parte de níveis muito baixos. Portanto, ainda que as perspetivas de desempenho tenham melhorado, o panorama geral para as empresas continua complicado e muitas empresas holandesas estão a sofrer uma grande pressão sobre as suas finanças.

O setor Automóvel é o único setor que agravou as suas perspetivas recentemente [de favoráveis a desfavoráveis]. Em 2014, dois grandes concessionários abriram falência e outras empresas deste segmento encontram-se numa situação problemática. O setor viu-se prejudicado devido à queda dos preços dos automóveis na Países Baixos.

No setor Químico - Farmacêutico as perspetivas melhoraram [de boas a excelentes]. O índice de incumprimentos é baixo. A indústria química holandesa conta com uma sólida reputação na Europa, onde beneficia da sua localização e da boa organização dos seus produtos químicos. 

A acentuada deterioração do setor da Construção finalmente atingiu o fundo e as perspetivas remontam de más a favoráveis. A atividade da construção e a venda de habitações têm vindo a recuperar, no entanto ainda se encontram muito abaixo do nível anterior à crise. A solidez financeira de muitas empresas deste setor viu-se gravemente afetada durante a crise e os atrasos nos pagamentos e as insolvências são ainda altos.

Com a retoma da despesa e da confiança dos consumidores, os rendimentos do setor de Bens de Consumo Duradouros começaram a aumentar após anos de diminuição. As perspetivas passam de Más a Desfavoráveis. As margens empresariais continuam a ser ajustadas e o estado do setor ainda não é bom.

Após enfrentar problemas graves, os bancos locais estabilizaram e prevê-se que o setor financeiro beneficie das perspetivas económicas mais favoráveis. As perspetivas passam de Favoráveis a Boas.

O rendimento do setor de Serviços está a melhorar, em conformidade com a recuperação económica atual. As perspetivas passam de Favoráveis a Boas.

Após anos de deterioração, os comerciantes de têxteis e roupa confirmam um aumento da faturação graças ao aumento dos gastos dos consumidores. Perspetivas de más a desfavoráveis. Contudo, esta recuperação é ainda frágil e permanece suscetível a uma queda da confiança dos consumidores.

 

Sobre a Crédito y Caución

A Crédito y Caución  é um dos operadores líderes em seguro de crédito interno e de exportação. A Crédito y Caución contribui para o crescimento das empresas, há mais de 85 anos, protegendo-as dos riscos associados às vendas a crédito de bens e serviços. Desde 2008 é o operador do Atradius em Brasil, Espahna e Portugal.

Atradius é o operador global de seguros de crédito, presente em 50 países, que tem acesso a informação de crédito em mais de 100 milhões de empresas em todo o mundo. O operador global consolida a sua actividade no âmbito do Grupo Catalana Occidente.

Mantenha-se informado. Receba a nossa Newsletter

Esta pagina web usa cookies

Utilizamos cookies de terceiros para fins analíticos (produzindo estatísticas baseadas nos seus hábitos de navegação), personalização (para lembrar o idioma ou as configurações preferidas da web) e publicidade comportamental (para desenvolver perfis e oferecer publicidade adaptada às suas preferências de navegação). Poderá configurar o uso desta tecnologia. Poderá também modificar ou retirar o seu consentimento a qualquer momento, clicando em "Declaração de Cookies".

Marketing

Os cookies de marketing são utilizados para rastrear os visitantes dos sites. A intenção é exibir anúncios que sejam relevantes e atraentes para o utilizador individual e, por conseguinte, mais valiosos para os editores e anunciantes terceiros.

Necessárias

Os cookies necessários ajudam a tornar um site utilizável, ativando funções básicas como navegação na página e acesso a áreas seguras do site. O website não pode funcionar corretamente sem estes cookies.

Estadísticas

Os cookies estatísticos ajudam os proprietários dos sítios Web a compreender como os visitantes interagem com o sítio Web, recolhendo e fornecendo informações de forma anónima.

Preferências

Os cookies de preferências permitem que o site se lembre de informações que alteram a forma como o site se comporta ou é apresentado, tais como o seu idioma preferido ou a região em que se encontra.